Integrantes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc) entregaram ontem cestas básicas para os funcionários da prefeitura que, segundo o sindicato, tiveram suas gratificações cortadas em função de dias de paralisação.

Duas paralisações foram realizadas este ano: uma no dia 31 de março e outra entre os dias 14 e 16 de abril. Segundo o Sismuc, cerca de 600 servidores todos da área da educação sofreram com o corte nas gratificações. Pelo menos 100 cestas foram entregues.

“É a política da prefeitura de punir os servidores que fizeram greve. Nosso salário é baixo, então temos gratificações. Mas a pessoa não pode ter nenhuma falta, senão as perde. Há servidores que não receberam nada este mês, pois o que ganham é composto só de gratificações”, informou a presidente do Sismuc, Irene Rodrigues.

Segundo Irene, até agora somente os servidores da educação sofreram os cortes. Ontem à tarde, um grupo de integrantes do Sismuc esteve na secretaria para conversar.

Segundo a assessoria da secretaria, a Procuradoria Geral do Município (PGM) está avaliando a possibilidade de mudanças no decreto. A assessoria também confirmou que os servidores que faltaram nos dias da paralisação tiveram suas gratificações cortadas, uma vez que isso está previsto em lei. A assessoria reiterou que os salários foram pagos, somente as gratificações é que foram retiradas.