O Sindicato dos Trabalhadores em Urbanização do Estado Paraná (SindiUrbano-PR) reagiu às declarações do secretário municipal de Trânsito, Joel Krüger. Em vídeo publicado no Blog do Esmael no fim do mês passado, Krüger declarou que acabaria com a “indústria das multas” e os autos de infração só seriam aplicados em casos de extrema necessidade.

Em resposta, o SindiUrbano-PR divulgou nota de repúdio na qual exige explicações do secretário em relação ao termo “indústria das multas” e esclarece que a maioria das infrações em Curitiba são registradas por radares e lombadas eletrônicas. “Declarações irresponsáveis como a do secretário de Trânsito estimulam os condutores a não respeitarem o trabalho dos agentes de trânsito e não aceitarem nem mesmo a orientação”, diz a nota.

“O que queremos saber é o que o secretário entende pelo termo “indústria da multa’. Não ficou claro o que quis dizer com isso. Ele precisa esclarecer o uso desse termo não só para os trabalhadores, mas também para toda a sociedade”, questiona Valdir Mestriner, presidente do SindiUrbano-PR.

Panos quentes

Segundo Krüger, as declarações foram mal compreendidas pelos trabalhadores e membros do sindicato. “Em nenhum momento quis dizer que os agentes não vão mais multar. O que eu quis dizer é que o foco do nosso trabalho é na educação dos motoristas e com isso as multas iriam acabar em Curitiba. Lógico que é utópico dizer que ninguém será multado, mas queremos que os números de multas diminuam através de uma política educacional”, afirma Krüger. Ele diz que em nenhum momento quis incluir os agentes na chamada “indústria das multas”.