O Sindicato dos Motoristas e Cobradores nas Empresas de Transporte de Passageiros de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) organizou um protesto no fim da tarde de ontem, na garagem da Autoviação São José dos Pinhais (antiga Carmo), na Linha Verde, exigindo a readmissão do cobrador de estação-tubo Ari Ribeiro dos Santos. O trânsito no local ficou lento, mas sem congestionamento.

O presidente do Sindimoc, Anderson Teixeira, acusa a Urbs de pressionar a empresa a afastar o funcionário como retaliação. No ano passado, Santos denunciou a Urbs por aplicação de multas administrativas aos que improvisavam formas para se proteger do frio nas estações-tubo. Ele foi vítima por usar uma cortina para impedir a entrada de vento. A justificativa da empresa pela demissão é a necessidade de “readequação no quadro funcional”, segundo o cobrador.

Advertência

O sindicato afirma que no dia anterior à demissão, no início do mês, fiscais da Urbs advertiram Santos pelo uso da cortina. “Apesar de suspenderem as multas, as perseguições continuam”, comenta Teixeira. Aos 62 anos e 15 de empresa, “seo” Ari, como é chamado pelos amigos de profissão, denuncia as “humilhantes e precárias” condições de trabalho dos cobradores de estação-tubo. “No inverno é gelado, com muito vento e umidade. O uniforme não é suficiente para nos proteger e aquecer. A gente é perseguido por sentir frio.” A Autoviação São José dos Pinhais não se pronunciou sobre o caso.