O Sindicombustíveis, que representa os postos de combustíveis do Paraná, vai entrar na Justiça contra a lei que determina que os preços sejam exibidos com apenas duas casas decimais, e não três, como atualmente. A lei foi sancionada na terça-feira (17) pelo governador Beto Richa e já está em vigor.

A expectativa do autor do projeto, o deputado Evandro Araújo (PSC), é de que os estabelecimentos, ao cortar uma casa decimal, arredondem para baixo os preços atuais.

“O Sindicombustíveis informa que orienta seus associados e postos de combustíveis a seguirem a determinação legal de imediato. Mas ressalta que irá buscar as medidas legais cabíveis para revogar a nova lei, uma vez que a adoção das três casas decimais no painel de preços e nas bombas é uma determinação regulatória federal, por meio de resolução da ANP”, disse, em nota, o presidente do sindicato, Rui Cichella.

O dirigente salienta que toda a cadeia do setor trabalha com os três dígitos após a vírgula. “Assim, cada milésimo de real faz diferença para o preço total da carga de um caminhão, por exemplo, que faz o transporte de combustível em grande escala. O terceiro decimal justifica-se no preço de combustíveis porque os postos repassam o valor pago às distribuidoras, também com essa precisão”, afirmou.