Além de prestar informações metereológicas precisas, o Instituto Tecnológico Simepar se utiliza de alta tecnologia para oferecer serviços de dados para vários setores. Desde 2010, três veículos aéreos não tripulados (vants) realizam monitoramento de áreas com o objetivo de coletar dados para estudo e análises solicitados por empresas da construção civil, do setor elétrico e da agricultura.

Os vants do Simepar são pequenas aeronaves, com pouco mais de seis quilos e dois metros de envergadura, dotados de um sistema inteligente que permite definir um plano de voo com dados de altura, velocidade e coordenadas do trajeto. Aos vants são acopladas câmeras com sensores e de alta definição que captam com precisão todos os dados relativos à região do voo.

De acordo com o pesquisador José Eduardo Gonçalves, do Simepar, a ideia de realizar voos não tripulados ocorreu há quatro anos. Os vants trabalham principalmente para o setor ambiental, executando a fiscalização de áreas de preservação permanente. O setor público também pode utilizá-lo na gestão de obras em rodovias. “Com essas aeronaves é possível reduzir consideravelmente os custos de uma operação como esta. Além disso, se ganha tempo também”, afirma.

Apesar de conseguir obter dados precisos de níveis de poluição emitidos na atmosfera e outras informações atmosféricas, hoje os vants quase não conseguem executar essas operações. Isso porque, por normas da Infraero, não é possível executar voos com aeronaves não tripuladas em espaços urbanos.