Cerca de 1,4 milhão de paranaenses deverão ser vacinados contra a gripe e a hepatite B neste ano. Essa é a meta da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), que reforçou a importância do procedimento, que ainda não está sendo facilmente lembrado pela população brasileira com idade superior a 19 anos. A vacinação em adultos, cada vez mais comum nos países desenvolvidos, não faz parte do hábito dos brasileiros. No entanto, a prevenção realizada ainda quando criança é, para muitos, o suficiente para estar livre de diversas doenças. Mas, segundo a Sesa, a vacinação deve ser realizada sempre que for necessário.

No caso da gripe, para as pessoas com 60 anos ou mais, o indicado pelo Ministério da Saúde (MS) é a aplicação da vacina influenza a cada ano. De acordo com a Sesa, a vacina influenza (contra gripe) é aplicada em períodos determinados pelo ministério. Neste ano, os adultos com idade de 60 anos ou mais poderão se encaminhar até os postos de saúde de todo o Estado para tomar a vacina entre 17 e 31 de abril.

Esse processo ocorre todos os anos. Segundo Nilce Haida, responsável pelo Setor de Doenças Imunopreveníveis da Sesa, a ação tem tido um grande efeito. “Como as pessoas com essa idade estão mais debilitadas, ficam expostas à doença mais facilmente. Com a vacina, os casos têm diminuindo com freqüência”, diz.

Ela afirma que durante todo o ano os postos de saúde estarão disponibilizando a vacina que previne o aparecimento da gripe. “Nos primeiros meses, estamos priorizando a vacinação das pessoas de até 20 anos. O País já fabrica a vacina, mas o total produzido ainda não atende toda a demanda. Por isso intensificamos a ação nos mais jovens”, explica. “Mas, mesmo assim, estaremos realizando ações de conscientização em todo o Estado para levantar o problema da doença”, completa Nilce.

De acordo com a Sesa, outras vacinas ficam disponíveis nos postos de saúde de todo o Estado para os adultos, entre elas a dupla bacteriana (contra o tétano e difteria) e dupla viral (contra sarampo e rubéola).