A cena é um tanto constrangedora: um cliente no supermercado precisa esperar pela validação do pagamento de suas compras com cartão. O processo, que em alguns casos chega a durar meia hora, faz com que os demais frequentadores do estabelecimento também fiquem aguardando em uma fila que aumenta cada vez mais. Enquanto isso, a irritação é inevitável.

É esta a situação que a educadora Alessandra Cláudia de Oliveira já teve que enfrentar mais de uma vez ao utilizar o Cartão Qualidade, sistema oferecido pela Prefeitura de Curitiba aos seus servidores. O cartão, desenvolvido pelo Instituto Curitiba de Informática (ICI), engloba os serviços de identificação do servidor, vale transporte e compras a crédito consignado com débito em folha de pagamento.

Além da demora, Alessandra conta que frequentemente o sistema está fora do ar. “É comum chegar ao caixa e descobrir que o sistema caiu por tempo indeterminado, isso em qualquer rede de supermercados. Para evitar problemas, alguns servidores vão direto ao balcão onde ficam as máquinas que aceitam o Cartão Qualidade para ver se o sistema está funcionando e então fazer as compras”, conta ela, que mais de uma vez já precisou devolver todas as suas compras assim que chegou ao caixa e verificar que o sistema não estava funcionando. “Primeiro vem a vergonha, depois a revolta”, desabafa.

Assim como a educadora, outros servidores sofrem com o mesmo problema e recorrem ao calendário para evitar mais transtornos. A lentidão é mais comum entre os dias 20 de um mês e 5 do próximo, período em que o crédito é liberado. A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc), Marcela Alves Bomfim, afirma que muitos relatos chegam à entidade. “A demora no funcionamento do cartão se naturalizou ao cotidiano dos servidores. Iremos abordar esta situação em nossas negociações. Queremos questionar, sabemos que o sistema é muito bem pago e deveria funcionar adequadamente”, diz.

ICI reconhece instabilidade, mas diz que casos estão dentro da normalidade

De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Curitiba, o sistema do Cartão Qualidade faz parte de um pacote de serviços contratado pelo município. Porém, este serviço específico é uma contrapartida do instituto e por isso não representa nenhum custo à administração municipal.

Por meio de nota, o ICI reconheceu os problemas de instabilidade do sistema, que configura casos considerados “dentro da normalidade”. O instituto afirmou ainda que não possui uma estatística de reclamações dos usuários, mas que está trabalhando para sanar os problemas. De acordo com o documento, o sistema do Cartão Qualidade depende da disponibilidade do serviço de sinal de rádio GPRS das operadoras de telefonia. Ainda no primeiro semestre de 2012 está prevista a implantação do sistema TEF (transferência eletrônica de fundos), que “promete ser mais ágil e fácil”.

Ao todo, 284 estabelecimentos são conveniados ao sistema do Cartão Qualidade, entre mercados, restaurantes, farmácias, postos de combustível e outros estabelecimentos comerciais, que contam com 800 equipamentos leitores disponíveis a 42 mil usuários.