Curitiba – Os funcionários da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) do Paraná realizam  hoje (14) um ato de protesto em frente à sede regional da empresa, em Curitiba , local onde estão acampados desde a noite de quarta-feira (12), quando foi deflagrada a greve da categoria. Às 15 horas eles deverão sair do local em passeata pelo centro da cidade, até a praça Santos Andrade.

Segundo o diretor de Finanças do  Sindicato dos Trabalhadores nos Correios do Paraná (Sintcom-PR), Sebastião Cruz, existem duas maneiras de avaliar a paralisação.

?No setor administrativo, onde trabalham cerca de mil pessoas o expediente é praticamente normal. Mas isso não enfraquece o movimento, porque na parte operacional que abrange 5 mil funcionários, a adesão é de 80% , o que compromete todo o serviço de entrega?.

O setor operacional das 360 agências do Estado é responsável diariamente por 1,8 milhão correspondências simples, 60 mil registradas  e 30 mil  encomendas de Sedex.  Os serviços Sedex 10 e Sedex Hoje estão temporariamente interrompidos, devido às multas que a empresa paga se não forem entregues no tempo estipulado.

A  triagem das correspondências  foi transferida para o 5º Batalhão de Logística do Exército em Curitiba. Para a  assessoria de imprensa dos  Correios ,  a adesão  até agora está torno de 40%. A  estratégia de transferir os serviços para o quartel, de acordo com a assessoria,  garante  a segurança dos trabalhos.

As cinco agências dos Correios em Curitiba  abriram ontem(13) normalmente. De acordo com o diretor,  hoje (14),  o comando de greve vai tentar fechar as duas principais, no centro da cidade, mas isso não é prioridade. ?As pessoas podem postar suas correspondências, mas dificilmente elas serão entregues  e essa, infelizmente foi a última saída que encontramos para reivindicar nossos direitos?.

Ele disse que a categoria já vê resultados positivos na paralisação.  ?As negociações que estavam lentas estão tomando novo rumo, ontem o comando de greve teve uma audiência com a direção da empresa em Brasília e uma nova rodada esta marcada para esta sexta-feira(14).

Os servidores reivindicam  R$ 200 de aumento real linear, além da reposição das perdas salariais que, acumuladas desde 1994, totalizam 47,77% e rejeitaram por unanimidade a proposta feita pela direção dos Correios, que ofereceu um reajuste de  3,74%, R$ 50 de aumento real a partir de janeiro de 2008 e um abono de R$ 400, parcelado em duas vezes.