Servidores do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) protestaram ontem à tarde, em frente à sede dos órgãos, na Rua Dr. Faivre, contra a falta de propostas salariais satisfatórias do governo federal. A greve iniciada em 18 de junho prejudica os serviços de aplicação de crédito, regularização fundiária, emissão de certidão e aposentadoria rural e certificação de imóveis rurais. Ao contrário de ontem, quando o piquete impediu a entrada de pessoas no prédio, hoje a passagem será liberada com a condição de não haver corte no ponto dos manifestantes.

O funcionalismo rejeitou a oferta de 15,8%, em três parcelas anuais. A principal reivindicação é a equiparação salarial com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), cuja remuneração é quase três vezes maior, mesmo em funções similares. O dirigente da Associação dos Servidores do Incra no Paraná (Assincra/PR) João Wagner Gomes da Silva, também cobra aumento de efetivo.