Os servidores da Justiça Federal do Paraná podem deflagrar greve a qualquer momento. Na tarde de ontem, cerca de 20% dos funcionários da sede, no Ahu, cruzaram os braços. Servidores do Ministério Público Federal e do Ministério Público do Trabalho, entidades já em greve, participaram do ato percorrendo corredores, na intenção de convencer os colegas a aderirem ao protesto. A ação foi aprovada em assembleia na terça-feira passada.

Segundo o coordenador geral do Sindicato dos Servidores da Justiça Federal do Paraná (Sinjuspar), Jair do Nascimento, “este foi um aviso ao governo federal do descontentamento do funcionalismo. Também anunciamos estado de greve para dinamizar os processos referentes ao movimento”. O sindicalista não descarta a paralisação por tempo indeterminado em breve. Hoje o trabalho será suspenso novamente entre 14h e 16h. Na sequência, haverá assembleia para deliberar sobre a continuidade dos protestos. Os servidores exigem recomposição salarial de 56%, pagos em quatro parcelas semestrais, referente à reposição de inflação e ganho real. A categoria rejeitou a proposta do governo federal de 15% pagos em três anos.