A greve dos bancários atingiu 292 agências e 11 centros administrativos em Curitiba e região no quinto dia de paralisação. No Paraná, são 646 agências fechadas. Não está marcada nenhuma nova rodada de negociação. Os clientes mais adeptos à tecnologia são os menos afetados, porque fazem parte das operações por canais alternativos, como internet e celular.

De acordo com dados da Federação Brasileiros dos Bancos (Febraban), em 2012, 39% das transições bancárias no Brasil foram feitas pelo internet banking. Pelo celular, o mobile banking, foram 2% das operações. Em quatro anos, houve aumento de 23,7% nas transações pela internet. Pelo canal, é possível fazer desde consultas, como saldos e extratos, até pagamentos, transferências e empréstimos.

Riscos

Para aqueles que têm receio de usar os serviços do banco na internet, o especialista em crimes digitais Wanderson Castilho garante: os canais oferecidos pelas instituições são seguros – o elo mais fraco são os usuários. “Aqueles usuários que não instalam atualizações do computador e antivírus, ou acessam programas que não conhecem, links recebidos por e-mail, que vão clicando e aceitando tudo, tornam o computador mais vulnerável”, explica.

O mau uso do computador, segundo o especialista, pode fazer com que programas maliciosos sejam instalados – “roubam” a senha do banco do usuário e passam para criminosos. “É mais seguro fazer essas transações pela internet do que sair e correr o risco de sofrer acidente ou ser assaltado, por exemplo, desde que a pessoa tenha certeza que o computador está imune”, ressalta.