Ter habilidades e competências profissionais não garantem vaga no mercado de trabalho. Isso porque, cada vez mais, as empresas querem funcionários que saibam se comportar com os clientes e colegas, e também na vida pessoal; garantindo boa imagem para a companhia. É o que explica a especialista em etiqueta corporativa e social Silmara Leite Ribeiro Santos, diretora fundadora da Pitaco Marketing e Eventos.

Práticas comuns à boa educação, como cumprimentar as pessoas com bom dia, boa tarde e boa noite; pedir desculpas e dizer “obrigado (a)” são cada vez mais raras entre as pessoas e são valorizadas pelos empregadores. “A regra virou exceção, e o que é raro vale ouro”, afirma Silmara.

Quem consegue ter sensibilidade e gentileza no trabalho melhora o próprio marketing pessoal, o que é um diferencial entre as competências dos funcionários. Na prática, Silmara exemplifica que é só levar a boa educação de casa para a empresa. “Se em casa você faz tudo para receber bem a visita, por que não faz isso na empresa?”, compara.

Sem preconceito

No ambiente de trabalho é preciso lidar com pessoas de diversas idades, opiniões, culturas e comportamentos, por isso, a especialista em etiqueta corporativa e social destaca a importância de saber lidar com as diferenças. “Não se pode ter preconceito. Você pode até não concordar com alguma coisa, mas precisa respeitar”, ressalta.

Outro ponto importante para se destacar em relação ao comportamento é não deixar os problemas pessoais interferirem no desempenho na empresa. “Se a pessoa não ganha bem, por exemplo, o cliente não tem nada a ver com isso. Todo mundo tem problemas, mas não podemos descontar nos outros”, avalia. “As empresas têm gastado milhões para o fortalecimento da marca e da imagem, por isso, precisam que os funcionários a preservem”, complementa.

Pra patrões e empregados

Silmara Leite Ribeiro Santos vai ministrar workshop em que serão repassadas orientações sobre postura no trabalho, direitos e deveres de colaboradores e empregadores e outras informações. O evento será na quinta-feira, às 19h, no hotel do Centro Europeu. A inscrição pode ser feita por telefone (3045-2460) e o custo é R$ 70.