Duas greves de funcionários da saúde pública podem afetar o atendimento à população nesta semana. Os enfermeiros e técnicos do Hospital do Idoso Zilda Arns têm o início de paralisação por tempo indeterminado marcado para quarta-feira. Já os motoristas e socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) podem cruzar os braços a partir de quinta-feira.

Segundo a presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Curitiba (Sindesc), Isabel Cristina Gonçalves, a assembleia vai definir amanhã a situação no Hospital do Idoso. “A princípio, é apenas para organizar o movimento, mas se aparecer nova proposta e os trabalhadores aceitarem, pode não haver greve”, afirma.

Equivalência

Os funcionários do hospital pedem reajuste salarial equivalente o oferecido aos médicos, que terão aumento de 33%, incluindo remanejamento de jornada e horas-extras. Até agora, a proposta apresentada aos trabalhadores é de reajuste de 5%, além da data-base de 1,5%.

Já o movimento dos motoristas e socorristas do Samu será definido em reunião marcada para as 9h de quarta-feira, na Delegacia Regional do Trabalho. Eles reclamam que a Ecco-Salva, empresa que ganhou a licitação para administrar o serviço de ambulância do município, não está pagando o piso da categoria.