A Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) confirmou nesta sexta-feira (15/02) a segunda morte por dengue no Paraná. O caso é de um morador de Paranavaí, cidade em situação de epidemia, que morreu na quarta-feira (13/02) devido a complicações causadas pela febre hemorrágica por dengue. A causa da morte foi confirmada após laudos definitivos do Laboratório Central do Estado (Lacen-PR).

O paciente de 83 anos era cardiopata e usava medicamentos anticoagulantes, o que pode ter contribuído para o agravamento de seu quadro clínico hemorrágico. Ele morreu em um hospital de Presidente Prudente (SP), 10 dias após o início dos sintomas, e apresentou síndrome do choque da dengue, o grau máximo da febre hemorrágica.

Para determinar a causa da morte de casos suspeitos de dengue, além dos exames realizados no Lacen-PR, é feita uma investigação criteriosa para avaliar se a doença foi a principal responsável pelo óbito. Segundo o médico da Sesa Enéas Souza Filho, é possível que exames confirmem a presença do vírus da dengue no organismo da paciente e, mesmo assim, a causa da morte seja outra.

Esse foi o caso de outra moradora de Paranavaí, de 73 anos, que morreu na quarta-feira (13/02), após se recuperar de uma febre hemorrágica por dengue. Depois de uma avaliação da evolução clínica da paciente, foi constatado que a verdadeira causa da morte era uma pneumonia adquirida devido a sua baixa imunidade.

Outro óbito por dengue foi descartado nesta sexta-feira. Trata-se de uma mulher de 53 anos que também residia em Paranavaí. Todos os exames laboratoriais deram negativo para dengue. Agora, a secretaria investiga outras causas de morte por meio de amostras de sangue processadas pelo Lacen-PR. Ela morreu na quarta-feira (13/02) com choque neurogênico e encefalite viral.

Balanço

Um novo boletim com os números atualizados da dengue no Paraná será divulgado na próxima segunda-feira (18/02). Desde agosto de 2012 já foram confirmados 3.439 casos da doença. Destes, 72% estão concentrados em seis municípios em epidemia: Paranavaí, Peabiru, São Carlos do Ivaí, Japurá, Fênix e Quinta do Sol.

A primeira morte por dengue deste ano aconteceu em janeiro, no município de Campo Mourão. Foi um advogado aposentado de 75 anos, morador de Peabiru. Ele era hipertenso, tinha passado por tratamento contra o câncer e procurou atendimento médico apenas três dias após o início dos sintomas da dengue.