Foi apresentado ontem um mapa oficial sobre a ocupação indígena no Estado. O documento, feito pela Secretaria de Meio Ambiente, mostra a localização das comunidades e suas características e as principais dificuldades enfrentadas pelos índios, o que servirá de base para políticas públicas.

O documento mostra a localização das 22 áreas indígenas demarcadas e inclui oito áreas não-demarcadas, além de seis territórios ocupados por famílias dispersas ou agrupadas, inclusive em perímetros urbanos. Nessas áreas vivem hoje 32 mil indivíduos das etnias Caingangue, Guarani e Xetá, segundo o último censo do IBGE.

O coordenador de Assuntos Indígenas da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Edívio Battistelli, diz que, segundo o levantamento, a macrorregião de Guarapuava é a que concentra maior contingente populacional e menor índice de miscigenação. ?E o Norte do Paraná é a mais atingida pela população não-índia?, contrapõe.