Londrina teve, no primeiro semestre deste ano, um saldo positivo de 6.141 postos de trabalho. O número é maior do que o registrado em todo o ano passado. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados na última sexta-feira (18), pelo gerente do Sistema Nacional de Emprego (Sine) em Londrina, Roberto Gonçalves. “Com isso, a cidade mantém estável a oferta de novos postos de trabalho”, afirmou. O saldo é o resultado das admissões e demissões no mercado de trabalho.

Gonçalves informou que, só no último mês de junho, o saldo positivo ficou em 1.011. Segundo ele, o setor de serviço foi o que ofereceu mais vagas (697); seguido pela indústria de transformação (186); do comércio (169) e da construção civil (132). “Este último setor gerou cerca de 15% a mais de postos neste primeiro semestre do que no ano passado”, ressaltou.

Do total de vagas oferecidas no semestre, o gerente do Sine afirmou que o segmento de serviço também fica na frente dos demais setores, com 3.073 vagas. A distribuição continua com 1.262 para indústria; 823 para o comércio e 753 na construção civil. Conforme ele, o aumento na oferta de empregos é apenas conseqüência do aquecimento do mercado de trabalho londrinense. “Isso reflete o crescimento da economia do município, que ganhou muito com a vinda de novas empresas, atraídas pelo bom momento do comércio local”, comentou.

Para o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Mauro Viecili, o atual momento da cidade reflete o que está sendo feito, na área comercial, há mais de três anos. “O PIB [Produto Interno Bruto] está 44% maior do que estava em 2005, por exemplo. Aumenta o consumo por parte da comunidade e, consequentemente, aumenta a empregabilidade e a oferta de trabalho”, enfatizou.

Viecili afirmou, ainda, que o fato do município ser pólo universitário e a vinda de várias empresas para a cidade são aspectos que ajudam a aquecer o comércio e a economia. “A geração de emprego, provavelmente, vai aumentar ainda mais no segundo semestre, devido ao bom momento da economia da cidade”, ressaltou. Ele lembrou também que Londrina foi escolhida como a 5ª melhor cidade do sul do país, pela revista Você S.A., para seguir carreira profissional. “O município manteve o nome na lista e está à frente de várias capitais brasileira.”

No entanto, o presidente da Codel alertou que falta, ainda, mão-de-obra qualificada para o trabalhador londrinense. “Para suprir o aumento de número de vagas, o município vai trabalhar oferecendo cursos e capacitando os trabalhadores, sem precisar trazer métodos de fora”, destacou.