A programação do dia pode mudar de uma hora para outra depois de uma “passada” na previsão do tempo. É ela que indica a roupa que você vai vestir, qual calçado vai usar, se o guarda-chuva ocupará espaço dentro da bolsa, se você vai no parque com os amigos ou se o programa com a família será mesmo em casa. A previsão do tempo traz diversos impactos na vida de todo mundo. Mas os responsáveis por montar esta previsão não têm moleza. A previsão depende de modelos numéricos e das interpretações dos meteorologistas.

A meteorologia não é uma ciência exata. “A atmosfera é uma caixa de surpresas. Nunca vamos pegar uma situação pronta. Você não sabe o que espera e o que de fato vai acontecer”, comenta a meteorologista Sheila Paz, do Instituto Tecnológico Simepar, que monitora o tempo no Paraná e que tem sua sede no Campus Politécnico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), no bairro Jardim das Américas. O índice de acerto na previsão do tempo no Simepar supera os 90%.

Felipe Rosa
Sheila: a atmosfera é uma caixa de surpresas. Nunca vamos pegar uma situação pronta.

A seção de meteorologia do Simepar não para. O trabalho acontece ininterruptamente, 24 horas por dia. São 14 meteorologistas e uma técnica da área para fazer a previsão do tempo e atuar no monitoramento de tempestades, outro serviço prestado pelo instituto para diversas empresas, como a Companhia Paranaense de Energia (Copel). O Simepar acompanha em tempo real situações de tempestades e repassa alertas para a empresa. Os panoramas sobre o tempo também são enviados diariamente para o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil, com o objetivo de chamar atenção sobre eventos na natureza e suas possíveis consequências.

Na sala de monitoramento do Simepar, no Jardim das Américas, os meteorologistas recebem as informações de satélites, de radar, do sistema de detecção de raios e de 90 estações meteorológicas (algumas delas, além do tempo, acompanham o nível de alguns rios do Estado). São todas ferramentas para verificar as condições de momento. “Com a imagem de satélite, conseguimos ver a nebulosidade e como ela está se deslocando. Com o radar, acompanhamos as chuvas e as tempestades. O sistema de raios detecta as descargas atmosféricas quase que instantaneamente”, explica Sheila.

Ela conta que um radar será instalado em breve na região Oeste do Estado, porta de entrada para muitos fenômenos que atingem o Paraná. O único radar hoje do sistema Simepar está localizado em Teixeira Soares, a 60 quilômetros de Curitiba.

Profissão não atrai muita gente

Felipe Rosa
Índice de acerto na previsão do tempo do Simepar supera os 90%.

Compreender e interpretar tudo isto não é nada fácil e, por isto, todo o trabalho precisa ser desempenhado apenas por meteorologistas com formação específica. O curso de meteorologia tem duração de quatro anos, com oferta em apenas oito universidades em todo o País. A meteorologista Sheila Paz conta que os dois primeiros anos do curso possuem basicamente aulas de física e matemática. Muitos estudantes desistem no meio do caminho, resultando em um bai,xo número de formandos ao final do curso.

A maioria dos meteorologistas, ao concluir a graduação, já parte para o mestrado para somente depois entrar oficialmente no mercado de trabalho. É uma atividade que exige bastante do profissional. Sheila esclarece que meteorologia não é apenas para previsão do tempo. Engloba diversas áreas, como climatologia, agrometeorologia e sensoriamento remoto (satélites), entre outros segmentos.

Verdades sobre o tempo em Curitiba

Por que o céu de Curitiba frequentemente está encoberto?

Nesta região, o vento predominante vem de Leste e de uma área úmida (oceano). Esta umidade é carregada com os ventos. No encontro com a Serra do Mar, esta umidade é forçada a subir. Com a altitude, dentro um ambiente mais frio, a umidade se condensa e forma as nuvens. A permanência da nebulosidade é definida conforme a chegada da umidade.

Por que em Curitiba faz as quatro estações em apenas um dia?

A capital paranaense está próxima de uma região de serra e a quase mil metros de altitude. Normalmente à tarde, a região recebe o ar mais quente vindo do interior do Estado. Esta combinação explica as manhãs mais frias (ou com temperaturas amenas) e as tardes quentes. As chuvas dependem do calor e da umidade.

Por que a geada atinge somente alguns lugares, mesmo quando a temperatura está 0ºC?

A formação da geada depende de temperatura abaixo dos 4ºC, de céu claro e da ausência de vento. Normalmente a camada de gelo aparece em fundos de vale porque esta área fica protegida dos ventos.

Curiosidade: Qual é a diferença de massa de ar frio e de frente fria?

A massa de ar frio abaixa as temperaturas, enquanto a frente fria está relacionada apenas à chuva.

Acompanhe no vídeo a conversa com a meteorologista.