Unidade de Hidrodessufurização da Repar.

Deixar o ar mais limpo e melhorar a qualidade de vida nas grandes cidades. Este é o objetivo da Petrobras ao implantar a Unidade de Hidrodessulfurização (UHDS), que reduz em mais de 20 vezes a concentração de enxofre do óleo diesel usado em veículos pesados. A UHDS da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária, Região Metropolitana de Curitiba, está funcionando desde janeiro deste ano. A previsão da Petrobras é implantar as unidades em todas as refinarias do País até 2009.

De acordo com o gerente-geral da Repar, Francisco Raymundo de Cerqueira Neto, com a construção da UHDS, a Petrobras também está se antecipando em relação à nova legislação ambiental brasileira, que entra em vigor a partir de 2006. A unidade foi projetada em 2000 e as obras começaram em 2002, com um investimento de US$ 149,5 milhões. A produção na UHDS é de 5 milhões de litros de diesel por dia. A Repar produz diariamente 15 milhões de litros do combustível.

Cerqueira conta que há três tipos principais de diesel: o marítimo (com até 1% de enxofre); o diesel B (0,35%), usado em caminhões que circulam no interior do Estado; e o diesel D (0,2%), chamado de “metropolitano”, utilizado em veículos que trafegam nas cidades. A intenção da UHDS é produzir mais diesel com a percentagem menor de enxofre (tipo D). “Quando o petróleo chega na Repar, vindo de São Francisco do Sul, ele passa pelas unidades de destilação. Um dos produtos dessa fase é o óleo diesel. Parte dele vai para a UHDS e o restante é armazenado em tanques, pois ainda são vendidos os tipos marítimo e B”, explica Cerqueira.

A nova unidade é composta por quatro partes. A primeira, chamada Unidade de Geração de Hidrogênio, produz hidrogênio praticamente puro por meio da reação entre gás natural e vapor de água. Depois disso, ele é combinado com diesel aquecido na UHDS propriamente dita. O enxofre presente no combustível se associa com o hidrogênio, gerando amônia, gás ácido e outros compostos. Nesse momento, o diesel já está purificado.

Os resíduos que foram misturados à água são tratados na Unidade de Tratamento de Águas Ácidas, onde o enxofre é recuperado e transformado em produto sólido para ser vendido às indústrias médica, alimentícia e agroindustrial. Os gases remanescentes vão para a Unidade Dietanolamina, onde são tratados e enviados para a Unidade de Recuperação de Enxofre, já existente na refinaria, que fornece a substância para o consumo de outras unidades.

Vantagens

Para Cerqueira, além da vantagem de ofertar o diesel D, a UHDS tem um grande significado para a Petrobras. “Com a unidade, poderemos absorver mais o petróleo pesado, existente na Bacia de Campos e na maior parte do Brasil. Atualmente, 80% do petróleo refinado é nacional, e o número pode aumentar. Isso é muito importante para a produção do País”, avalia o gerente-geral da Repar.

15 mil empregos envolvidos

A nova unidade gerou 15 mil empregos diretos e indiretos. Não foi registrado nenhum acidente de trabalho com afastamento durante os dois anos de construção, o que é considerado um recorde. Para o gerente do setor de engenharia da Repar, José Paulo Assis, isso foi possível graças à capacitação e os treinamentos que os funcionários receberam antes e durante a obra.

A obra também é inédita na história da refinaria, pela infra-estrutura montada e a dedicação à qualidade de vida dos trabalhadores. “Uma obra organizada aumenta a produtividade e o comprometimento das pessoas”, acredita Assis. Foram construídos, perto do local da unidade, um canteiro de obras organizado, um mini-hospital, refeitório, vestiários e áreas para descanso.