Auditoria da Secretaria Municipal de Saúde no Hospital de Clínicas considerou preocupante a situação do atendimento e realização de procedimentos eletivos na unidade. Ainda assim a secretaria considera que o atendimento não será prejudicado por causa do fechamento de 94 dos 457 leitos do hospital. O levantamento, no entanto, não irá resultar em nenhuma ação pela secretaria, que não é responsável pela gestão do hospital, mas acredita que a situação se resolva em breve.

“A auditoria observou que não houve o fechamento de nenhum serviço, o que já é um avanço, mas a redução em alguns. Na área de urgência, emergência, UTI, unidades materno e infantil não há diminuição. O que preocupa é a diminuição de serviços eletivos”, avalia o superintendente de gestão da secretaria, Alan César Diório.

Solução

A secretaria pretende ainda instalar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) nas dependências do HC, para atender os pacientes da regional matriz. A assessoria de imprensa do HC informou que por enquanto nenhum representante irá se pronunciar sobre a auditoria. O fechamento dos leitos aconteceu depois que a Justiça do Trabalho proibiu a realização de horas extras por funcionários do HC, que trabalhavam além do tempo permitido por lei para manter os leitos funcionando.