Um rebocador que conduzia uma barcaça de abastecimento de navios afundou por volta das 8 horas da manhã desta terça-feira (06), na Baía de Paranaguá, próximo à Ponta da Cruz, na direção da Ilha da Cotinga. O rebocador Mariner I, da empresa LM Serviços Marítimos e Transportes, já havia manobrado a barcaça TWB I para abastecer o navio Atlantic Muse, de Hong Kong, e estava acostado quando começou a adernar.

Os tripulantes amarraram cabos no costado da barcaça na tentativa de reter o rebocador, mas não conseguiram evitar que a embarcação afundasse. As três pessoas que estavam a bordo saíram a tempo. Ninguém se feriu. A Capitania dos Portos do Paraná deverá investigar as causas do acidente.

Segundo informações levantadas junto à LM, o rebocador havia retornado de um estaleiro – onde passou por manutenção – no último sábado (03). A suspeita inicial é de que teria havido intervenção nos tanques de estabilidade, sem que isso fosse informado à proprietária da embarcação. Com o vento forte e o mar agitado, o rebocador teria começado a adernar e afundou rapidamente.

O Grupo Setorial de Gestão Ambiental Mar e Terra, da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), comunicou o fato aos órgãos ambientais e acionou equipes do Clube de Serviços de Meio Ambiente – setor também vinculado à Appa – para acompanhar as ações de contingência. Os trabalhos ficaram sob responsabilidade de equipes de emergências ambientais acionadas pela LM.

Segundo a LM, houve pequeno vazamento de óleo diesel (combustível do próprio rebocador). Foram usadas barreiras de contenção e de absorção para evitar a dispersão do óleo.

Ainda de acordo com a LM, foi acionada uma empresa de salvatagem de Itajaí (SC) para resgatar o rebocador com uso de guindastes marítimos. A empresa assegurou que, em 30 anos de atuação, não registrou nenhum outro incidente dessa natureza.

O incidente não provocou nenhum prejuízo às manobras de entrada e saída de navios no Porto de Paranaguá.