O projeto de lei para criação de 200 colégios cívico-militares no Paraná foi encaminhado à Assembleia Legislativa nesta segunda-feira (14) pelo governador Ratinho Jr (PSD). A ideia é de que a direção dessas escolas fique a cargo da Polícia Militar (PM) com professores e demais funcionários do quadro da Secretária Estadual de Educação (Seed).

O ingresso dos alunos nessas novas unidades seria por concurso, a exemplo de como já é feito nos quatro colégios administrados pela PM no Paraná, em Curitiba, Londrina, Maringá e Cornélio Procópio.

LEIA MAIS – Secretária de Saúde indica que aulas em Curitiba podem voltar antes da vacina de covid-19

De acordo com o projeto, a implantação do modelo seria conforme escolha da própria comunidade escolar por consulta pública. Para ser implantado o sistema, a escola também de ser em um município com mais de 10 mil habitantes e ter ao menos duas escolas estaduais na área urbana. O sistema também poderá ser adotado em colégios de vulnerabilidade social com baixo rendimento educacional que não ofertem ensino noturno.

“Os colégios cívico-militares serão uma opção a mais aos pais que assim desejarem”, aponta o deputado estadual Hussein Bakri (PSD), líder do governo e Presidente da Comissão de Educação na Assembleia.