A organização das comunidades remanescentes dos antigos quilombos – os quilombolas – foi um dos mais importantes resultados da audiência pública realizada, na última sexta-feira (29), em Adrianópolis. Foram formalizadas denúncias ao Ministério Público, principalmente com relação a conflitos com fazendeiros.

“O evento reuniu representantes de todas as comunidades. Isto demonstra a percepção a respeito da necessidade de se organizar em cada comunidade por meio de associações, e dá articulação entre essas representações para enfrentar questões comuns a todas elas”, afirmou o professor Jairo Pacheco, diretor-geral da Secretaria de Estado da Ciência Tecnologia e Ensino Superior.

O promotor público Marcos Fowler vai investigar as denúncias. Cópias do processo serão encaminhadas a todas as instituições que compareceram à audiência pública.

A audiência pública foi presidida pela Associação da Comunidade Remanescente de Quilombos e reuniu membros de 13 comunidades em um galpão da comunidade João Surá, em Adrianópolis. Participaram representantes das comunidades Varzeão, localizada no município de Doutor Ulysses; João Surá, Praia do Peixe, Porto Velho, Córrego das Moças, Sete Barras, São João, Córrego do Franco, Estreitinho, Bairro dos Pimentas e Três Canais, situadas no município de Adrianópolis; Areia Branca, que fica em Bocaiúva do Sul; e ainda da comunidade de Praia Grande, que fica no município paulista de Iporanga.