Moradores do Jardim Veneza, em Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), realizaram ontem pela manhã uma manifestação pedindo mais ônibus para a linha de transporte coletivo que atende o bairro.

Os moradores alegam que são poucos ônibus, que passam em seis localidades diferentes. Isso causa lotação e, muitas vezes, os motoristas não pegam usuários nos pontos porque não cabe mais gente dentro do ônibus.

Os manifestantes bloquearam uma rua do bairro, forçando a parada de três ônibus que fazem a linha do Jardim Veneza. No ínicio da manhã, eles chegaram a bloquear a BR-116 por uma hora.

Os moradores contam que, além do problema da lotação, os ônibus também estão passando com atraso nos pontos. Nos finais de semana, a espera é superior a uma hora.

O morador Heriberto Werner, que também faz parte da Associação de Moradores do Jardim Veneza, conta que o ônibus percorria os seis bairros e depois seguia sentido Curitiba pela BR-116.

A saída para a rodovia ocorria por uma rua que foi bloqueada recentemente pela proximidade com a praça de pedágio que está sendo instalada quase na divisa com o município de Mandirituba.

Desde então, o ônibus chega perto da rodovia, faz uma manobra arriscada e volta pelo mesmo trajeto. “Dois ônibus nessa linha não estão mais fazendo efeito. Precisamos de mais ônibus. A Urbs diz que não tem, mas quando fizemos o protesto, mandou um ônibus rapidinho”, afirma o morador Leandro Gonçalves Ferreira.

Os moradores estão elaborando uma abaixo-assinado. No próximo sábado, às 19h, será realizada uma assembleia sobre o assunto no Colégio Generoso Salustiano, que fica no bairro.

A Urbanização de Curitiba S.A., que gerencia o transporte coletivo da Rede Intergrada de Transporte – da qual faz parte a linha Jardim Veneza -, informou por meio de assessoria de imprensa que um ônibus extra será colocado a partir de amanhã no horário entre 5h30 e 6h30, até quando a demanda justificar o veículo a mais.

Além disso, a Urbs vai avaliar a alteração no trajeto, para que não haja prejuízo nos horários. A Urbs alegou que isso não foi feito anteriormente porque não foi comunicada sobre as obras na praça de pedágio.

A assessoria de comunicação da Autopista Planalto Sul, concessionária responsável pela administração da rodovia, informou que a rua foi fechada porque desembocava diretamente onde está sendo construída a praça de pedágio e também por questões de segurança. Foi admitido também que não houve conversas com a Urbs porque o assunto está sendo discutido diretamente com a prefeitura de Fazenda Rio Grande.