A Promotoria de Justiça de Proteção da Educação de Nova Esperança, no norte do Estado, recomendou ao Núcleo Regional de Educação de Paranavaí, que representa a Secretaria Estadual de Educação na Comarca, que adote critérios mais democráticos e igualitários para a garantia das vagas do que simplesmente a permanência na fila da matrícula. A Promotoria sustenta que nem todos têm condições ficar durante dias inteiros por vezes noites em frente às escolas para garantir vaga em turno desejado.