Apesar de já ter a simpatia da maioria dos vereadores, o projeto que obriga a instalação de câmeras de segurança em casas noturnas com capacidade para mais de 100 pessoas será alterado. A segunda votação do projeto, que deveria acontecer ontem, foi adiada por três sessões e voltará ao plenário na terça-feira (29).

Além de discriminar quais tipos de estabelecimentos serão classificados como casa noturna, uma emenda deve incluir o cancelamento do alvará como punição para aqueles que não se adequarem. “A nossa ideia é que, em janeiro, quando a prefeitura faz a renovação do alvará desses estabelecimentos, já seja exigida a adequação à lei. Desta forma, as casas noturnas que não tiverem câmeras instaladas terão seus alvarás cancelados”, explica o autor do projeto, vereador Juliano Borghetti (PP). Além dos bares, podem entrar na lista de abrangência do projeto os restaurantes dançantes, as boates e as casas de eventos.

A iniciativa de propor o projeto partiu da preocupação com a segurança em casas noturnas após incidente ocorrido recentemente, no qual um rapaz teve sua perna amputada após confusão no James Bar.