O reajuste salarial sancionado pelo governador Beto Richa aos professores da rede estadual de ensino não altera a mobilização da categoria. Os professores realizam hoje a tradicional paralisação do 30 de agosto, chamado Dia de Luto e de Luta, com passeata e manifestação em frente ao Palácio Iguaçu. Todas as escolas estaduais ficarão sem aulas. Ontem, as aulas foram reduzidas a 30 minutos como parte dos protestos.

A proposta foi votada na manhã de ontem pelos deputados estaduais em sessão ordinária e imediatamente encaminhada ao governo. O reajuste será pago em duas parcelas: uma de 6,66%, retroativa a julho, e a outra de 6,65% a partir de outubro. “Continua tudo como antes, a paralisação é estadual, estamos com caravanas de todo o Estado vindo para Curitiba. Mesmo se não tivéssemos nenhuma pauta, faríamos a mobilização, mas sempre temos pautas”, disse a presidente da APP-Sindicato, Marlei Fernandes de Carvalho. De acordo com a sindicalista, entre os itens pendentes estão os reajustes dos funcionários, pagamentos de promoções e progressões atrasados desde janeiro, além do novo modelo de atendimento à saúde.