Em reunião na Câmara Municipal de Curitiba, o procurador de Justiça do Meio Ambiente do Ministério Público do Paraná (MP-PR), Saint-Clair Honorato Santos, voltou a defender um gerenciamento descentralizado do lixo produzido na Grande Curitiba.

Como o aterro da Caximba deve deixar de funcionar em novembro e há problemas para se definir solução conjunta, o procurador acredita que o melhor seria que cada município encontrasse soluções próprias.