Equipes da Prefeitura de Curitiba trabalham em vários bairros da cidade, nesta segunda-feira (22), para consertar estragos causados pelas chuvas fortes e ventos de 68 km/h registrados no fim de semana. Dezessete residências foram atingidas e há 75 pessoas desalojadas. Seis mil residências ficaram sem luz. Desde sábado, a Defesa Civil do município distribuiu 270 metros quadrados de lona plástica e atendeu 43 ocorrências, como quedas de árvores, destelhamentos e desabamentos.

Na mais grave delas, na madrugada deste domingo (21), parte da cobertura em construção de um sobrado desabou sobre outra residência que ficava no mesmo terreno no Uberaba. Uma jovem de 18 anos morreu. Outras três pessoas, de 25, 17 e 11 anos, ficaram feridas e foram encaminhadas para o Hospital Cajuru. A obra não possuía documentação e nem autorização do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-PR). Foram retirados os escombros, eliminando o risco de novos desmoronamentos, e o proprietário foi notificado.

Ainda no Uberaba, um muro desabou, colocando em risco uma casa. No bairro Tingui, outro muro caiu sobre duas residências. No Tatuquara, um andaime, de aproximadamente 30 metros de altura, de uma torre de uma empresa de telefonia ficou com risco de cair sobre um comércio e uma residência. O local foi interditado e a empresa notificada. Cinco pessoas que moravam na residência foram orientadas a deixar a casa.

Árvores

Equipes da Secretaria Municipal do Meio Ambiente estão nas ruas para atender as ocorrências com árvores em vias públicas. A Defesa Civil contabilizou 20 registros de quedas de árvores. Segundo a diretora do departamento de Produção Vegetal, Erica Mielke, não há mais nenhuma via obstruída. “Algumas ainda estão parcialmente interrompidas para o trânsito, mas nossas equipes estão nos locais”, disse.

No fim de semana, três carros foram atingidos por quedas de árvores e galhos, nos bairros Cajuru e Capão Raso. Felizmente, ninguém ficou ferido. No São Braz, as árvores que atingiram algumas residências deixaram cinco pessoas desalojadas.

Na região central, foram registrados dois casos de quedas de objetos, como placas e partes de construção. Uma rua no bairro Cajuru ficou alagada, mas sem atingir as casas da região. Na Mateus Leme, parte da pista cedeu e equipes da Secretaria de Trânsito (Setran) fizeram a sinalização do local.

Os raios e ventos provocaram quedas de luz e aproximadamente seis mil residências ficaram sem iluminação. Enquanto a situação não era normalizada pela Copel, equipes da Setran trabalharam na orientação do trânsito, principalmente em cruzamentos dos bairros Mercês, Atuba e Capão Raso, regiões mais atingidas.