O prefeito Beto Richa assina, na próxima semana, decreto determinando que todas as secretarias e unidades da Prefeitura reduzam despesas com água, luz, telefone e material de consumo para garantir economia de pelo menos 10% nos gastos de custeio. O objetivo é garantir que o aumento nas despesas com pessoal, que chegará a R$ 69 milhões neste ano, não coloque em risco o equilíbrio fiscal do município.

A folha de pagamentos aumenta em R$ 48 milhões no ano, por causa do reajuste de 6% que a Prefeitura concedeu nos salários dos servidores e que entra em vigor a partir de 1.º de julho. Proposto pela Prefeitura sexta-feira, o reajuste foi aprovado pela assembléia geral dos servidores, no mesmo dia. Outros R$ 21 milhões de acréscimo da despesa decorrem do aumento da contribuição da Prefeitura para o sistema de previdência dos servidores. A parte patronal passou neste ano de 11% para 22%.

Equilíbrio

?A determinação do prefeito Beto Richa é que se faça todo o esforço para garantir que o aumento na despesa seja assimilado, sem prejuízo do equilíbrio fiscal e, também, dos serviços essenciais para a população?, afirma o secretário municipal de Finanças, Luiz Eduardo Sebastiani. ?Para isso, vamos conter os gastos com custeio da máquina administrativa e, também, remanejar recursos orçamentários, com cancelamento de ações inicialmente previstas para outras áreas?, disse o secretário. O remanejamento será necessário porque o orçamento elaborado pela administração anterior não reservou verba suficiente para cobrir o reajuste.