O aumento da vazão do Rio Iguaçu fez com que a prefeitura de Porto Amazonas, sudoeste do Paraná, decretasse ontem estado de emergência. Desde a última quinta-feira, o rio subiu 6,5 metros alagando assim sete quadras da região central da cidade. De acordo com a prefeitura, 50 famílias tiveram que deixar suas casas. Ninguém ficou ferido.

O prefeito de Porto Amazonas, Miguel Tadeu Sokulski, explica que a maioria dos atingidos preferiu se abrigar na casa de parentes. “Abrigamos 15 famílias no centro de convenções do município. Lá, elas estão recebendo alimentação, remédios, cuidados com higiene e moradia até que o nível da água abaixe, o que poderá acontecer na próxima semana”, estima. Hoje, Sokulski pedirá auxilio ao governador Orlando Pessuti em Ponta Grossa.

No restante do Estado, a Defesa Civil do Paraná contabilizou seis cidades que ainda possuem problemas por causa das enchentes. São ao todo 1.613 pessoas desabrigadas. De acordo com o órgão, União da Vitória, Rio Negro, General Carneiro, Francisco Beltrão, Curitiba e Araucária ainda apresentam desabrigados.

Buscas

O Corpo de Bombeiros encontrou na manhã de ontem o corpo de Evandro Donassdi, 23, que desapareceu no domingo após um acidente no canal extravasor do Rio Iguaçu, em São José dos Pinhais.

O corpo percorreu 1,5 quilômetro e foi encontrado no Rio Iguaçu na altura da Caximba, em Curitiba. Os bombeiros continuam hoje as buscas pelo corpo de outro rapaz de 23 anos que desapareceu em Balsa Nova, também em virtude das chuvas.