Policiais do Batalhão de Polícia Ambiental Força-Verde (BPAmb-FV) passaram três horas na mata de Morretes, no litoral Paranaense, até descobrir, na madrugada deste sábado (11), uma fábrica ilegal de palmito. No local, um rancho improvisado, foram apreendidos 20 palmitos in natura e um homem de 60 de idade foi preso em flagrante.

Segundo a Polícia Militar, o trabalho começou depois de uma outra ação, na sexta-feira (10) na qual foram descobertos 43 vidros do produto ilegal. Na ocasião, um homem foi flagrado fugindo correndo pela mata. Mas os policiais estudaram o modo de operação dos criminosos e retornaram no dia seguinte. 

Os policiais então entraram na mata e, após caminharem por cerca de uma hora, chegaram até a localidade de Mundo Novo de Anhaia. Lá encontraram um barraco de lona e madeira, com vários materiais e palmitos-juçara recém-retirados do matagal, totalizando 20 unidades. Como não havia ninguém no local, os policiais permaneceram por três horas no local para a abordagem.

Foto: Polícia Militar/Divulgação.

Voltou e se deu mal!

Após horas esperando, um homem que tinha fugido no dia anterior apareceu no rancho e foi abordado pelos policiais. Era o mesmo homem que tinha escapado correndo. Ele confessou a extração ilegal de palmito e também disse que vendia o produto para ajudar no orçamento da família.

O material e o detido foram encaminhados até o Posto de Polícia Ambiental de Cacatu, onde o preso assinou um Termo Circunstanciado. Foi lavrado um auto de infração ambiental com uma multa de R$ 6 mil. O homem foi liberado logo depois e os palmitos foram doados à Associação de Recuperação de Dependência Química e Alcoolismo Vale do Sol.