Uma equipe de policiais civis do Grupo de Diligências Especiais de Cascavel (GDE/PC), deteve 13 pessoas suspeitas de participar de apostas em rinhas de galo. Os acusados foram detidos, na última segunda-feira (23), dentro do Assentamento São Francisco, em Cascavel. A operação começou por volta das 17h e terminou às 20h. ?Essa é a segunda prisão de patrocinadores e apostadores dessas rinhas, que a Polícia Civil de Cascavel realizou nesse ano?, comentou o delegado-titular do 1.º Distrito Policial de Cascavel, Marcos Fernando da Silva Fontes.

Junto com os presos, foram apreendidos 14 galos-de-briga e várias esporas plásticas, que torna o confronto mais violento, podendo causar a morte dos animais. Os galos serão encaminhados ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama). Segundo o delegado, João Batista Varela, um dos detidos, era o dono da área e promovia as rinhas há alguns meses. Cada duelo custava ao apostador R$10. No local também foi constatada a venda de bebidas alcoólicas.

?Chegamos nessa rinha de galos-de-briga através de uma denúncia pelo telefone 197, que é o disque-denúncia da Polícia Civil do Paraná. É essencial que as pessoas utilizem esse telefone para denunciar qualquer tipo de crime no Estado?, afirmou o delegado.

As 13 pessoas foram indiciadas pelos crimes de jogos de azar e crueldade contra animas. Os acusados assinaram termo circunstanciado e assumiram compromisso de comparecer ao juizado especial da comarca de Cascavel, em dia e horário previamente agendado e serão julgados pelo Poder Judiciário. ?Por tratar-se de infração penal de menor potencial ofensivo, as pessoas assinaram o termo circunstanciado, assumindo os compromissos cabíveis e foram liberadas?, completou Fontes.