Foto: Lucimar do Carmo/O Estado

Prefeitura e UFPR: parceria.

Devido à grande quantidade de mordidas de cães, a Prefeitura de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, em parceria com alunos do curso de veterinária da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e com a Sanepar, fez ontem um censo para descobrir a população de animais na cidade. A partir disso, serão tomadas medidas para evitar a superpopulação dos bichos, como a esterilização.

Segundo a médica veterinária do município, Elizabete Javorouski, o problema com a população de cães na cidade preocupa. Um levantamento feito pela Prefeitura contabilizou 746 agressões feitas por estes animais de 2004 até julho deste ano e, ao contrário do que se pensa, não são os cães de rua os vilões, mas sim aqueles que têm um domicílio com acesso livre à rua. Eles foram responsáveis por 84% das agressões.

A pesquisa foi feita em 400 domicílios no bairro Guarituba, que fica dentro da Área de Proteção Ambiental do Irai. Além de transmitir doenças aos seres humanos, como a raiva, leptospirose e verminoses, eles também são uma ameaça ao meio ambiente. São atropelados, rasgam sacos de lixo e, com a chuva, os detritos podem acabar nas águas do Iraí, que abastecem até 75% da população de Curitiba e Região Metropolitana. Por isso, a Sanepar é parceira do projeto.

Além de verificar a quantidade de cães em cada casa, os proprietários também responderam um questionário com 46 questões referentes aos cuidados com os animais, como a vacinação. Os resultados devem ser tabulados pelos alunos da UFPR e, em uma semana, devem ficar prontos. Eles servirão de base para a formulação do projeto piloto, que depois será estendido para toda a cidade.

Uma das primeiras idéias é fazer campanhas educativas junto às escolas e moradores para evitar que os animais tenham acesso à rua. ?Os cães costumam estabelecer um território em volta da casa e atacam para defendê-lo?, explica Elizabete. Além disso, a Prefeitura também deve fazer campanhas para esterilizar estes animais. As fêmeas entram no cio duas vezes ao ano, tendo em média cinco filhotes por gestação. Um casal pode gerar até 67 mil cães em apenas seis anos.

Durante a pesquisa, os alunos da UFPR também distribuíram material educativo. Antes de adotar um animal, as pessoas precisam verificar se possuem condições de dar toda a atenção necessária. Pessoas que foram mordidas devem procurar atendimento em um posto de saúde, já que todos têm vacina anti-rábica humana.