Foto: Tiago Tsuneto/Rio Paranazão

A Ponte Ayrton Senna ficou fechada por quase 8 horas e só foi reaberta por ordem judicial.

A Ponte Ayrton Senna, em Guaíra, que liga o Paraná ao Mato Grosso do Sul e ao Paraguai, ficou fechada ontem por mais de 8 horas e só foi reaberta por ordem judicial. Pescadores da região cobram do governo do Estado uma indenização referente a prejuízos causados à pesca devido ao desaparecimento das Sete Quedas. Já os comerciantes aproveitaram para pedir mais segurança. Guaíra foi apontada pelo Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros 2008, divulgado pela Rede de Informação Tecnológica Latino Americana (Ritla), como a sétima cidade brasileira em número de homicídios, com média de 94,7 mortes a cada cem mil habitantes em 2006.

O protesto foi organizado por pescadores da colônia Z-13. Com a destruição das Sete Quedas, desapareceu o berçário de vários peixes e a quantidade de animais diminuiu. Segundo o movimento, os 550 pescadores da colônia têm direito a uma indenização de R$ 10 milhões. ?Nós entramos com a ação contra o governo do Paraná em 1996 e ainda não recebemos o valor referente à indenização. A ação já foi julgada em todas as instâncias e não há mais possibilidade de recurso. Ganhamos em todas as instâncias, mas mesmo assim o governador Roberto Requião não escuta a nossa reivindicação. Por isso, promovemos uma manifestação para chamar atenção do Requião?, explicou o presidente da colônia, José Cirineu Machado.

Cerca de 600 pessoas participaram do protesto. A intenção do movimento era continuar bloqueando a ponte, mas a Justiça Federal em Umuarama determinou a reabertura até às 15h, sob pena de multa de R$ 30 mil a cada hora. Segundo os organizadores, formaram-se filas por mais de 10 quilômetros nos dois lados da ponte. A balsa que faz a travessia do Rio Paraná também ficou parada.

A falta de segurança também motivou a Associação Comercial e Empresarial de Guaíra (Aciag) a participar da ação. O presidente, Jair Schllmer, diz que os moradores e comerciantes não agüentam mais tanta violência. ?A quantidade de carros roubados que passam pela fronteira é muito grande?, exemplificou.

O Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros 2008 coloca Guaíra também em quinto em relação a mortes de jovens e, em primeiro, por mortes por arma de fogo. ?Queremos mais segurança?, disse Jair. Segundo ele, a Polícia Civil dispõe de seis policiais e um escrivão. A delegacia da cidade tem capacidade para 45 presos e tem 178. ?O governo do Estado prometeu reunião para tratarmos do assunto?, animou-se.

Em relação às ações dos pescadores contra o Estado, a Procuradoria-Geral do Estado não soube informar nada sobre o assunto.