Do porto ao mercadão do peixe ou do artesanato, os pontos turísticos de Paranaguá, no litoral do Estado, mantêm viva a sua história, que hoje completa 360 anos. Ao percorrer as ruas da cidade mais antiga do Paraná, o visitante percebe que muito deste passado histórico continua presente no cotidiano e na memória dos habitantes do local.

Mais do que prédios ou lugares, em cada ponto turístico há pessoas que se tornaram características com o passar dos anos. É o caso de Fernando Mendes, vendedor de suco há 26 anos na Praça Fernando Amaro. “Aqui eu brinco, dou risada e levo o dia assim, vendendo e conversando com os amigos”, conta.

No ponto de embarque para as ilhas próximas, o “Odair do Suco” faz mais sucesso que o serviço oficial de informações turísticas. “Conheço praticamente todos os moradores das ilhas que aqui embarcam. Quando cheguei aqui, a cidade era bem suja. Próximo desse ponto de embarque era cheio de peixe jogado no chão, que o pessoal pescava e vendia ali mesmo”, relembra Odair Oliveira, natural de Caçador (SC) e morador de Paranaguá há 11 anos.

Allan Costa Pinto
Para o artesão Edilson Batista, um lugar mais bem cuidado e bonito.

Nem tudo melhorou. “O Porto de Paranaguá praticamente morreu para nós. O comércio também já foi melhor”, opina Odair. Quem há mais de uma década divide o ponto de embarque – e de comércio – com Odair é Alceu Santos, ou melhor, o “Alceu da Laranja”, que também contribui com informações no telefone público ao lado da sua barraca, para onde ligam pessoas que querem saber o horário de saída dos barcos.

Perto dali, no Mercado de Artesanato, o casal Eliane e Edilson Batista concorda que a cidade está melhor do que na década passada. “Embora ainda falte muita coisa, Paranaguá está mais cuidada e mais bonita. Toda essa área aqui (aponta para a Praça 29 de Julho) era só mato e um ‘areião’”, conta Edilson, que se diverte com os estrangeiros que chegam de barco na cidade portuária.

“Parte da história brasileira continua sendo contada aqui. Os africanos, mesmo com a viagem sofrida e com o passado trágico que tiveram, continuam sorridentes e não perdem o espírito brincalhão. É contagiante”, diz.

Hoje é um dia duplamente especial para a família Lisboa, que trabalha no mercadão do peixe. “Cheguei aqui há 14 anos, no dia do aniversário da cidade, e não quero mais sair”, afirma Míriam Lisboa.

Comemorações

Em meio às festividades pelos 360 anos, hoje acontece o show da dupla sertaneja Bruno e Marrone a partir das 21h na Praça 29 de Julho. Para a próxima quinta-feira, no mesmo local, está programada uma apresentação das orquestras de Câmara de Paranaguá e Municipal de Paranaguá, às 20h.