O governo federal deverá anunciar a concessão de créditos no valor de R$ 70 bilhões para o setor agrícola em todo o País, durante o ano safra 2007/2008, que se inicia em 1º de julho. Desse total, R$ 58 bilhões estão previstos para a Agricultura Empresarial e R$ 12 bilhões para a Agricultura Familiar. Tradicionalmente, o Paraná recebe cerca de 12% desse volume de crédito, que corresponde a R$ 8,4 bilhões para o financiamento do custeio, investimentos e comercialização da safra agrícola.

Para o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Valter Bianchini, que está em Brasília, nesta quarta-feira (27), participando do anúncio do Plano Safra para a Agricultura Familiar, a grande novidade deste ano é o aumento do volume de crédito, acompanhado da redução da taxa de juros para os financiamentos agrícolas, ?que representam uma grande conquista de todo o setor?.

O Ministério do Desenvolvimento Agrário está disponibilizando R$ 12 bilhões para os agricultores familiares de todo o País, dos quais cerca de 10% devem ser destinados ao Paraná. Os recursos, que serão aplicados pelas linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), deverão beneficiar 200 mil agricultores no Estado.

Para os grupos C e D da Agricultura Familiar, com menor renda, os juros caem de 3% para 2% ao ano. Para o público E, de maior renda, os juros caem de 6,75% para 5,75% ao ano. Na Agricultura Empresarial, os juros devem cair de 8,75% ao ano para 6,5 a 7% ao ano.

O volume de recursos para a Agricultura Familiar destinados ao Paraná, em torno de R$ 1,2 bilhão, que corresponde à aplicação do Pronaf no Estado, vai financiar o custeio, investimentos e comercialização da safra. Desse total, R$ 400 milhões serão aplicados exclusivamente para investimentos na propriedade rural. O Banco do Brasil se comprometeu, em convênio com o governo do Paraná, com a aplicação de R$ 350 milhões também na Agricultura Familiar.