Paralisação de uma hora nos aeroportos do país promete gerar um efeito cascata no sistema aéreo brasileiro. No Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, havia atrasos por volta das 6h48, o que pode aumentar ao longo do dia.

Entre os envolvidos na paralisação, estão pilotos, comissários e colaboradores de serviços em terra. Segundo o sindicato da categoria, os profissionais reivindicam a questão salarial e melhores condições de trabalho.

Os aeronautas e aeroviários ficaram de braços cruzados até às 7h, o que gerou atrasos. De acordo com informações do Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA), os grevistas farão assembleias às 15h desta quinta nos aeroportos onde houve paralisação para deliberar os rumos do movimento. Até o momento, não há um balanço sobre a adesão de trabalhadores da categoria à paralisação.

De acordo com o site da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), até as 10h25, somente no Aeroporto Internacional Afonso Pena, dos 35 voos programados para esta quinta-feira (22), 19 estão atrasados e quatro foram cancelados.

A orientação para quem precisa pegar o avião logo cedo é entrar em contato com a companhia aérea e verificar se há atrasos.

GOL

A Gol informou que devido à paralisação, dos 45 voos da companhia previstos para decolar neste período, 27 registraram atrasos acima de 30 minutos em todo o País. “Neste momento, a companhia trabalha para normalizar a situação o mais breve possível e prestar assistência aos seus clientes”.

A companhia informou que, para minimizar os danos a seus clientes, readequou sua malha e os reacomodou em outros voos.

A empresa recomenda a seus clientes com voos previstos para hoje a entrarem em contato por meio dos canais de atendimento para verificarem a situação das decolagens. Caso seja preciso, a Gol oferece a possibilidade de remarcação das viagens, sem taxas, ou de solicitação de reembolso integral das passagens.