Ele costuma ser comparado ao padre Marcelo Rossi. Tem o mesmo carisma, talento para cantar e atrai uma multidão de fiéis. Trata-se do padre Reginaldo Manzotti, 33, que atua na Paróquia São José Operário, Vila Maria Antonieta, em Pinhais. Assim como o padre Marcelo, padre Reginaldo também está investindo no poder da mídia para arrebanhar mais fiéis para a Igreja Católica, e hoje lança seu primeiro CD, intitulado Deus é presença real. O lançamento acontece às 19h30, na Paróquia São José Operário.

“Queremos enfatizar a presença de Deus na vida das pessoas, seja nos momentos de alegria, tristeza, atribulações da vida”, explica o padre. “Tentamos mostrar que nas noites traiçoeiras existe um Deus fiel que está sempre presente.” O CD é composto por doze canções, sendo três com letra e música dele próprio. “Algumas canções são de minha autoria, outras já consagradas pela Igreja”, conta o padre.

Segundo ele, a idéia de produzir um CD surgiu há cerca de oito anos, mas “não tinha coragem nem recursos” de concretizar o sonho. “Resisti, no início, porque não tinha certeza se este era o caminho da evangelização. Conversei com vários padres, com o arcebispo (de Curitiba) d. Pedro Fedalto, e recebi o apoio de todos”, conta. O CD terá 5 mil cópias e, a princípio, será vendido na Paróquia São José Operário, em Pinhais, no Santuário Nossa Senhora do Carmo, em Curitiba , ou através do fone (41) 669-7454 ou 9197-8880. O CD custa R$ 17,00.

Perdendo espaço

“A Igreja Católica perdeu muito terreno. Temos um tesouro, conteúdos maravilhosos, mas às vezes não sabemos aproveitar. Não somos audaciosos na pregação”, acredita o padre Reginaldo. Na tentativa de resgatar o espaço perdido, o padre conta que vem investindo na mídia. Desde julho de 2001, ele mantém um programa na rede Educativa do Paraná. “A princípio, seria apenas em caráter experimental, por um mês. Mas as pessoas estão com tanta sede de Deus, que (o programa) deu certo e está aí até hoje”, conta.

As missas rezadas pelo padre Reginaldo são transmitidas aos domingos, às 8h, e têm duração de uma hora. Já as gravações acontecem às quintas-feiras, às 20h, durante missa no Santuário Nossa Senhora do Carmo ou outra paróquia qualquer, especialmente as históricas. “Estamos tentando resgatar as igrejas histórias, contar sobre a imigração do Paraná.” Segundo o padre, as missas atraem cerca de 2 mil fiéis, inclusive caravanas do interior do Estado.