As históricas ocupações irregulares nas regiões do Parolin, Guarituba, Vila Formosa e parte da Vila Zumbi, todas em Curitiba, devem ser as primeiras a se beneficiar de projetos de regularização fundiária por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), anunciado na última semana.

Uma delegação formada pela presidente da Cohapar, Rosângela Curra, o assessor especial de Assuntos de Curitiba do governo do Estado, Doático Santos, e a diretora de Meio Ambiente e Ação Social da Sanepar, Maria Arlete Rosa, esteve na terça-feira em Brasília, para uma reunião com a Caixa Econômica Federal (CEF), a Casa Civil e o Ministério das Cidades. Em pauta, a aplicação de recursos do PAC no Paraná.

?Estas ocupações chamaram bastante a atenção do governo federal e serão tratadas como prioritárias?, afirmou Curra. Segundo a presidente da Cohapar, a integração entre secretarias e órgãos estaduais praticada no Estado na questão fundiária – que além de buscar a regularização procura proporcionar real melhora na qualidade de vida dos moradores das áreas – coloca o Paraná como um estado com um ?ótimo credenciamento para pleitear os recursos necessários para os projetos?. ?O Ministério das Cidades já tem os projetos e agora estuda como serão liberados os recursos. Vamos pôr em prática serviços e regularização das ligações de água, coleta de lixo, drenagem e coleta e tratamento do esgoto ainda este ano?, assegurou Curra.