“Pecado é não usar” é o slogan da campanha nacional que as organizações de luta contra a aids vêm lançando em todo o país. Ontem, 16 entidades – das 43 que participam do Fórum Paranaense de ONG/Aids – se reuniram em Curitiba para discutir as estratégias no Estado. A idéia é reproduzir o vídeo a políticos locais e tentar a inserção nos canais abertos de televisão.

Criado por Flávio Waiteman e produzido pela Lux Filmes, de São Paulo, o vídeo Perdão tem um minuto de fortes imagens e traz apenas quatro frases: “Depois de séculos, a Igreja pediu perdão pela Inquisição”; “Depois de décadas, a Igreja pediu perdão aos judeus por ter se calado frente ao nazismo”; “Quanto tempo vai levar para a Igreja pedir perdão pelas vítimas da aids?”. Imagens de celas da Inquisição, de campos de concentração, de Hitler e de vítimas de aids ilustram o filme.

Entre as estratégias discutidas ontem estavam o apoio ao ministro Humberto Costa, o contato com padres e arcebispos locais para saber qual a posição deles com relação ao uso do preservativo como prevenção à aids e a promoção de um debate envolvendo um padre, médico infectologista e vítimas da aids.

Para Paulo Wesley Faccio, membro da Associação Londrinense Interdisciplinar da Aids, “de certa forma é compreensível a posição da Igreja.” “Por outro lado, há toda a questão social, a juventude precoce, gravidez também precoce que devem ser considerados”, acredita.

O vídeo Perdão é assinado pela ONG de profissionais do sexo Dávida, do Rio de Janeiro, pelo Fórum Ong/Aids de São Paulo, Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids e pelo Grupo Gay da Bahia.