Sair de Curitiba para seguir rumo às praias catarinenses na época de festas de final de ano que se aproxima será um verdadeiro sacrifício para os motoristas. Isso porque as principais vias da capital que dão acesso às BRs 376 e 101 estão com obras importantes e quem está disposto a curtir Natal e Ano Novo em Santa Catarina terá que ter paciência com as reformas, que devem intensificar o trânsito.

A rota mais utilizada pelos curitibanos para chegar à BR-376 é pela Avenida das Torres, que está sofrendo uma série de reformas no corredor Aeroporto-Rodoferroviária. Ao longo da via há uma série de obras de alargamento, revitalização de iluminação, retiradas de torres de energia e construção de calçamento. Em alguns trechos, há obras isoladas e sem nenhum operário trabalhando, já que empreiteras deixaram o local por falta de pagamento. No trecho localizado após o portal de São José dos Pinhais há desvios por causa da construção de uma tricheira, além de obras no acesso ao aeroporto.

Gerson Klaina
Principal saída, Avenida das Torres está tomada por operários e tratores.

“Quero só ver nesse final de ano. Tem até placas, o desvio é feito em duas pistas de cada lado, mas sabemos como são os motoristas. Eles veem uma placa de obra e já diminuem, passam a andar mais lentos. Ainda mais esses motoristas de final de ano, que não estão acostumados a andar por aqui. Não tenho dúvidas que vai haver engarrafamentos gigantescos”, afirma Pedro Andrade de Souza, motoboy que trabalha em São José dos Pinhais.

De acordo com Sandro Setim, diretor técnico da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), responsável pelas obras do Corredor Aeroporto-Rodoferróviária no trecho de São José dos Pinhais, por questões de prazos as reformas não serão paralisadas, mas medidas preventivas serão adotadas para evitar longos engarrafamentos no local. “Pedimos à prefeitura de São José alteração do tempo de semáforo no trecho. Além disso, pedimos às construtoras para realizar as obras às margens da rodovia e no canteiro central neste período. Também pedimos para reforçar a sinalização”, disse.

Marechal Floriano está em reforma

Gerson Klaina
Avenida tem ponto crítico próximo a viaduto da linha férrea.

Já quem decidir utilizar a Avenida Marechal Floriano Peixoto para chegar à BR-376 também vai dar de cara com obras. A via, que é uma das mais movimentadas da cidade, tem diversos pontos de reformas e o trecho mais crítico fica no viaduto sobre a linha férrea. Neste ponto, há obras de alargamento e o trânsito fica bastante complicado nos horários de pico. As intervenções nessa região fazem parte do PAC da Copa e só devem ficar prontas em maio do ano que vem. De acordo com a Secretaria Municipal de Obras, não haverá esquema especial no local, já que, para cumprir prazos, as obras não vão parar.

Boa notícia

Quem viajar para Santa Catarina via BR-376 só vai encarar obras nas saídas de Curitiba. A concessionária Autopista Litoral Sul, responsável pelo trecho da rodovia entre a capital e Palhoça (SC), informou que todas as obras serão interrompidas durante a temporada de verão. No último fim de semana, por exemplo, quem voltou do litoral catarinense pôde utilizar as duas pistas sentido Curitiba, já que as pontes próximas a Garuva foram concluídas. H,avia apenas trabalhos nos acostamentos. Porém, os trabalhos de construção da terceira faixa no Contorno Leste continuarão, mas segundo a empresa essa intervenção ocorre na parte de fora da pista e assim não atrapalhará o fluxo.

Problemas na rodoviária

Gerson Klaina
Reformas vão concentrar passageiros em um único bloco.

Quem deixar Curitiba de ônibus durante as festas de final de ano também vai encarar muito movimento. De acordo com a Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), só entre os dias 19 e 24 de dezembro cerca de 128 mil pessoas vão passar pela rodoferroviária. Para evitar maiores transtornos, a Urbs, juntamente a com a Secretaria Municipal de Trânsito (Setran) armou um esquema especial para o entorno do terminal. A primeira recomendação é que os carros desviem da região, trafegando no entorno do terminal apenas quando necessário, evitando congestionamentos e engarrafamentos.

Para os passageiros, a novidade é que nesse período todos os desembarques de passageiros serão feitos exclusivamente no bloco novo, que fica ao lado da ala estadual bloqueada para reforma, com oito plataformas, enquanto as 24 plataformas da ala interestadual, da frente, já reformada, serão utilizadas exclusivamente para embarques.

A Setran fará um trabalho especial para orientar o fluxo na região. As operações referentes ao tráfego de ônibus de viagem, ônibus do transporte e veículos normais acontecem entre as 17h e 2h da manhã nos dias 20, 23, 27 e 30 de dezembro; e entre 5h da manhã e meia-noite dos dias 21, 25 e 28 de dezembro e 1º e 5 de janeiro.

Táxis também terão esquema diferenciado. Entre 20 de dezembro e 6 de janeiro, ocuparão com exclusividade toda a área dos fundos da rodoferroviária (ala estadual em reformas). Também haverá táxis disponíveis para embarque de passageiros no ponto do Mercado Municipal.

Ainda na parte dos fundos da rodoferroviária, mas antes da trincheira, os táxis terão uma faixa exclusiva de circulação separada por cones, entre 17h e 2h da manhã dos dias 20, 23, 25, 27 e 30 de dezembro e 1º e 5 de janeiro; entre 5h e meia-noite dos dias 21, 22 e 28 de dezembro; e entre 5h e meio-dia dos dias 26 de dezembro e 2 e 6 de janeiro.