O Sol adiou o retorno do feriado nas estradas que cortam o Paraná, sobretudo para aqueles que optaram pelas praias do Paraná e Santa Catarina. Com isso, o movimento mais intenso nas rodovias, sentindo Curitiba, foi durante à tarde e início da noite deste domingo (18) com picos de 2,8 mil veículos por hora na BR-376, três vezes acima do fluxo em dias normais que é de 800 carros por hora.

Já na BR- 277, no trecho administrado pela Ecovia, quase dois mil veículos por hora retornavam para a capital perto das 18 horas e a previsão da concessionária era de que até a meia-noite a média de carros por hora se aproximasse de 2,6 mil, superando em cinco vezes a média de 500 veículos por hora dos dias normais.

Obras e excesso de veículos criaram alguns pontos de lentidão. Na BR-277, a construção de duas novas pontes, localizadas no quilômetro 24 (ponte sobre o Rio Sambaqui) e no quilômetro 09 (ponte sobre o Rio Vermelho) representaram os pontos mais complicados para os motoristas.

Na BR-376, no trecho próximo de Tijucas do Sul, a concessionária Autopista Litoral Sul registrou entre os quilômetros 663 e 651 o ponto de maior lentidão por excesso de veículos.

Apesar do movimento intenso, a Polícia Rodoviária Federal não registrou nenhum grave acidente até às 18 horas. Pelo balanço parcial da Polícia Rodoviária Estadual, a situação também era de tranquilidade, com 11 acidentes registrados e nenhuma morte durante o retorno do feriadão.

Coincidentemente, hoje foi celebrado o Dia Mundial em Memória às Vítimas do Trânsito que, em Curitiba, contou com uma missa ecumênica no Parque Barigui. A data criada há três anos pela Organização das Nações Unidas (ONU) é celebrada no terceiro domingo do mês de novembro.