A Promotoria de Justiça de Proteção ao Patrimônio Público de Cascavel ingressou esta semana com ação civil pública questionando a nulidade de um processo seletivo interno da Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

O Ministério Público pede, liminarmente, a suspensão de um processo interno aberto pela Unioeste para promover servidores para os cargos de advogado, contador e analista de informática sem que tenha sido dada oportunidade de participação de profissionais de fora do quadro da instituição de ensino para habilitar-se às vagas.