A greve dos motoristas de ônibus em Maringá, região noroeste do Estado, que estava programada para começar ontem, acabou não acontecendo. Eles tinham decidido cruzar os braços em uma assembléia, realizada no último sábado, por não aceitarem a proposta de aumento salarial feita pelas empresas Transporte Coletivo Cidade Canção (TCCC) e Transporte Coletivo Cidade Verde, as responsáveis pelo transporte público no município. O indicativo da greve foi votado por 345 trabalhadores e 262 decidiram realizar a paralisação. Apenas 42 motoristas votaram contra a manifestação.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Rodoviário de Maringá (Sinttromar), Ronaldo José da Silva, houve um arrependimento por parte dos trabalhadores em fazer a greve.

“A gente tinha preparado tudo para realizar a manifestação. Iríamos obedecer a lei e colocar 60% do efetivo para atender a população. Mas o pessoal optou por voltar ao trabalho e não tivemos como segurá-los”, comenta.

As empresas fizeram duas propostas aos trabalhadores. A primeira era de um piso de R$ 1,1 mil e R$ 120 de comissão linear, por exercerem também a função de cobrador. A outra era de piso de R$ 1 mil, R$ 100 de comissão e R$ 30 de Participação nos Lucros e Resultados (PLR).

Ambas as propostas não foram aceitas pelos motoristas em uma reunião no Ministério do Trabalho, na sexta-feira passada. Eles pleiteavam um aumento de 17,6%, deixando em R$ 1,2 mil o piso e R$ 200 a comissão.

“Ficamos surpresos com a decisão de nossos companheiros, mas a respeitamos. A nossa única saída agora é marcar uma nova assembléia para discutirmos qual será a proposta de reajuste salarial mais interessante para a nossa classe, pois entendemos que o sindicato não tem legitimidade para assinar essa proposta”, afirma o presidente do Sinttromar.

Para o gerente administrativo das duas empresas, Roberto Jacomelli, prevaleceu o bom senso na hora de optar por não fazer a greve. “Fizemos um trabalho durante a madrugada de hoje (ontem) com nossos trabalhadores para esclarecer que as propostas apresentadas pela TCCC e Cidade Verde são viáveis e vantajosas, uma vez que oferecemos um aumento de 12,33%, bem acima do Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC). Eles entenderam o nosso lado e optaram por trabalhar. Felizmente, os usuários não foram prejudicados”, diz. Jacomelli comenta ainda que os únicos contratempos foram atrasos em algumas linhas no período da manhã, mas que se normalizaram à tarde.