Átila Alberti / O Estado do Paraná
Estacionamento irregular é uma
das infrações mais cometidas.

Um levantamento realizado pela Diretran revela que os motoristas curitibanos têm abusado dos limites de velocidade. Transitar em velocidade superior à máxima em até 50% representa 68% de todas as infrações cometidas dentro da cidade.

“Acredito que o excesso de velocidade seja a principal infração detectada em cidades onde há redutores eletrônicos de velocidade. Chegamos à constatação com base no que foi registrado pelos radares e lombadas eletrônicas instaladas em Curitiba”, comenta a gerente de infrações de trânsito da Diretran, Léa Hatschbach.

A infração é grave e prevê o pagamento de multa no valor de R$ 127,69. O motorista também é penalizado com cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação. Quando a velocidade detectada é superior a 97 quilômetros por hora, a infração passa a ser gravíssima e a multa é de R$ 574. O motorista tem suspensão imediata do direito de dirigir por um período que pode ser de até dois anos consecutivos.

A segunda infração mais cometida em Curitiba é estacionar em desacordo com a regulamentação, isto é, em locais de EstaR, por mais de duas horas seguidas, em pontos de carga e descarga e em pontos de táxi. “A infração representa 16% de todas as cometidas na cidade. É considerada leve, sujeita à multa de R$ 53,20 e três pontos na carteira de habilitação”, explica Léa.

Na seqüência, representando 5% de todas as infrações, está o avanço de sinal vermelho. A irregularidade é gravíssima, gera multa de R$ 191,54 e perda de sete pontos na carteira. “Avançar o sinal é a atitude mais egoísta cometida pelos motoristas. Quando eles fazem isso, não estão conscientes de que, além de estarem arriscando a própria vida, estão colocando em risco a vida de terceiros”, diz a gerente.

Na quarta e quinta colocações, respectivamente, representando 2% e 1% das infrações cometidas, estão uso de celular ao volante e estacionar em local proibido, isto é, com faixa amarela. Ambas são infrações médias, na qual a multa é de R$ 85,13 e o motorista perde quatro pontos na carteira. Os 8% restantes são divididos entre executar conversão em local proibido, transitar com velocidade maior de 50% em relação à máxima permitida, estacionar em calçadas, entre outras.

Consciência

Apesar das estatísticas e de grande parte das infrações cometidas ameaçarem a vida da população como um todo, Léa acredita que a maioria dos curitibanos está se conscientizando em relação ao trânsito. Segundo ela, a frota de Curitiba é de 791.286 veículos. Em 2003, 85,32% não foram multados nenhuma vez. Em 2002 e 2001, a percentagem é menor: respectivamente 73,99% e 76,56%.