Manobras arriscadas por parte dos motociclistas têm gerado preocupação entre moradores e comerciantes da Rua Nilo Brandão, no São Lourenço. Quem vive e trabalha na região, conta que o ponto favorito dos motoqueiros fica na lombada eletrônica. No local, de acordo com relatos, as motos circulam de maneira rápida e, para fugir das câmeras do radar, desviam dos sensores de velocidade. O resultado são situações de riscos para pedestres e até motoristas.

Essa situação já resultou em acidente fatal no mês passado. Nesse mesmo ponto citado pelos moradores, um motoqueiro atropelou uma pedestre. Segundo testemunhas, a diarista de 61 anos desceu do ônibus Interbairros II rumo ao trabalho e, quando concluia a travessia, foi colhida pelo motoqueiro. Segundo o Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), após o atropelamento, o motoqueiro perdeu o controle do veículo e bateu no poste. Ambos morreram no local.

Pista de corrida

“O perigo é constante. Esses motoqueiros passam em altíssima velocidade e quando desviam do radar põem em risco pedestres e ao carros. Nunca se sabe de onde vêm, pois estão atrás dos carros e desviam muito rápido. Quem está atravessando na faixa de segurança muitas vezes nem consegue ver as motos passando. Quando vê já está em cima”, conta Paula Regina Souza, moradora da região.

Outro vizinho, que preferiu não se identificar, conta que os motoqueiros fazem da Nilo Brandão uma pista de corrida. “Da Anita Garibaldi até a Mateus Leme é uma descida e os únicos obstáculos são a lombada eletrônica e a travessia elevada, já perto do São Lourenço. Como as motos conseguem desviar do radar da lombada, aceleram e vão desviando dos carros que nem loucos. Os pedestres têm muito medo”, reclama.

A Secretaria Municipal de Trânsito (Setran) informou que tem conhecimento da fraude praticada por motociclistas e estuda adoção de novas tecnologias para inibir este tipo de irregularidade.