A manhã deste domingo (8) foi de muito trabalho para os mais de 15 mil moradores de vários bairros de Curitiba e região metropolitana por conta da chuva que caiu na madrugada de sábado (7). O trabalho desde o começo do dia foi para contabilizar os estragos e tentar salvar o que sobrou. Algumas famílias perderam tudo.

Na casa de Venizia Wergues Borges, 62 anos, na Rua Eudorico José Chiamulera, na Cidade Industrial de Curitiba, nada sobrou. “Fiquei sem nada, moveis, geladeira, televisão, forno, tudo. Inclusive sem a própria casa mesmo, que foi ao chão”, contou a idosa. A mulher pensa em reconstruir. “Vou ter que começar do zero”, lamentou.

Na manhã deste domingo, depois que conseguiu ajuda para tentar salvar alguma coisa, Venizia foi até uma escola municipal para ajudar as outras famílias que também foram atingidas. “Deixei meu filho na casa para continuar limpando e vim ajudar, porque todo mundo precisa neste momento”.

O susto foi grande, a água que invadiu as casas chega à altura do peito dos moradores. “Nas outras vezes nunca tinha acontecido como dessa vez, não tivemos para onde ir, mas não foi como dessa vez. Agora perdi tudo”, contou Venizia. Apesar de ser a única na rua que teve a casa inteira destruída, a idosa contou que estrago na vizinhança também foi grande. “Assim como eu, todos os nossos vizinhos contamos com a ajuda de quem puder”, pediu.

Abrigos

As 174 pessoas que precisaram passar a noite de sábado (7) nos abrigos montados pela prefeitura de Curitiba também começaram a voltar para as casas na manhã deste domingo. As famílias dormiram nas escolas municipais Joana Raksa, no Pinheirinho, e Otto Bracarense, na CIC.

Na Cidade Industrial, outras 70 famílias também receberam atendimento na Escola Municipal Pró-Morar e no CRAS Barigui. Outras 10 vítimas da chuva foram atendidas no CRAS Acrópole, no Cajuru.

De acordo com a Prefeitura, algumas pessoas atingidas também procuraram as escolas municipais Álvaro Borges e Maria Marly e também a Associação dos Moradores do Vitória Régia, na CIC. Esses espaços seguem de sobreaviso caso a chuva volte ou até que as famílias tenham condições de efetivamente retornar para suas casas.

Ajuda

Quem quiser ajudar os atingidos pela chuva e doar roupas, cobertores, toalhas de banho, produtos de higiene e alimentos não perecíveis, deve procurar os pontos de coleta da Doe Calor. Todos os endereços estão no site www.doecalor.com.br. As unidades da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, de qualquer cidade do Paraná, também estão recebendo as doações.

Estado de alerta

De acordo com boletim da Defesa Civil divulgado neste domingo, Curitiba teve 15.213 pessoas foram afetadas pela chuva, com 3.509 casas atingidas. Foram mais de 3.000 atendimentos. Entre os bairros mais atingidos estão o Uberaba, Cajuru, Boqueirão, Tatuquara, Santa Felicidade e 10 vilas da Cidade Industrial de Curitiba.

O prefeito Gustavo Fruet determinou no sábado estado de alerta por causa da cheia dos rios Barigui e Belém. Com isso, todos os servidores municipais estão de sobreaviso e podem ser convocados a qualquer momento para apoiar as equipes de mais de 500 técnicos da Assistência Social, Defesa Civil, Guarda Municipal, Saúde, Educação e Meio Ambiente que já estão desde a noite de sexta-feira (6) no combate à cheia e no atendimento da população atingida.

Gerson Klaina