Chuniti Kawamura / GPP

Ivone, Moreira, Arlete e Gislaine experimentam a vida de modelo.

Ao contrário do que muita gente pensa, a maturidade também é época de descobertas. Pessoas com mais de 50 anos estão experimentando pela primeira vez as passarelas e a sensação de estrear comerciais na televisão. Isto é resultado do aumento da expectativa de vida entre a população brasileira. Cada vez mais novos produtos entram no mercado para atingir esse público e acabam abrindo espaço para manequins e modelos da terceira idade.

Celso Moreira é um bom exemplo. Aos 52 anos, subiu pela primeira vez na passarela e desde então não parou mais. Em três anos de atividade já estreou dez comerciais em televisão para importantes grupos de Curitiba e até de fora. Está tão motivado que até já levou suas fotos para agências em São Paulo.

Moreira, como muitas pessoas de sua faixa etária, nunca pensou em ser modelo ou manequim, ainda mais depois dos 50 anos. A idéia surgiu depois que teve um enfarto e precisou fazer aulas de musculação. Foi o professor de Educação Física que sugeriu sua inserção no mundo publicitário. Ele procurou um curso oferecido no Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e, desde então, tem levado a sério a vida de modelo. ?Quando subi pela primeira vez na passarela, parecia que tinha nascido para isso. Antes fugia até de fotos?, diz. Mas quem pensa em seguir a carreira para ganhar dinheiro deve ter cuidado. Moreira diz que os cachês não são muitos altos. Em Curitiba variam entre R$ 100 e R$ 1 mil. Em São Paulo são melhores, mínimo de R$ 1 mil.

Arlete Pedrosa, 61 anos, foi uma das primeiras alunas a fazer o curso, há sete anos, no Senac. Conta que se interessou pela atividade porque passava por um momento difícil, estava em depressão e teria que fazer uma cirurgia delicada. O curso acabou ajudando a passar com serenidade pela fase.

Há um ano ela organizou um grupo de modelos da maturidade, o 3M Fashion, que conta com 28 integrantes. Segundo ela, o grupo tem sido bem solicitado para desfiles e comerciais. ?O mercado está nos descobrindo. Agora a procura tende só a crescer?, analisa. Mas Arlete comenta que o principal objetivo dos modelos da terceira idade não é ganhar dinheiro, o que conta mesmo é a melhoria da auto-estima e a amizade que nasce nos encontros.

O curso do Senac também tem ajudado algumas pessoas a realizarem seus sonhos. É o caso de Ivone Maria Gazzarrini, 46 anos, uma das mais novas do grupo. Ela procurou o curso porque desde menina sonhava em desfilar, mas a sua estatura era muito baixa para as passarelas. ?Agora não enfrento mais essa exigência. Estou realizando o meu sonho?, diz.

A técnica de educação profissional do Senac, Gislaine Bevilacquia, também assegura que o mercado está em expansão. ?Cerca de 40% dos alunos atuam ou já atuaram no mercado?, exemplifica. Durante o curso, os alunos aprendem várias técnicas de expressão verbal, corporal, de desfile e passarela, entre outras. Gislaine diz que a mudança no comportamento ao final das aulas é visível. ?O modo de se vestir, de ser portar, são pessoas mais seguras?, avalia. O curso tem duração de quatros meses e uma nova turma começa em agosto. Os interessados podem obter mais informações pelo telefone (41) 3219-4869.