O Ministério Público do Paraná (MP-PR) recorreu da decisão da Justiça Estadual, que negou nesta segunda-feira (20) o pedido de reconsideração do MP-PR para que fosse aplicado um lockdown no Paraná. Como argumento, o MP alertou para o esgotamento de leitos e medicamentos de UTI para manter pacientes graves de coronavírus. A recisão foi feita nesta quinta-feira (23).

LEIA TAMBÉM – Justiça diz não a pedido de lockdown no Paraná feito pelo Ministério Público

O pedido de lockdown feito pelo Ministério Público foi negado pelo juiz de direito substituto Eduardo Lourenço Bana, da 4ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba. Na decisão, ele explicou que entende que o governo do Paraná não está sendo omisso no enfrentamento da pandemia do coronavírus.

O pedido de lockdown feito pelo Ministério Público foi feito no dia 4 de julho, logo depois da decisão do governo do Paraná de não prorrogar o decreto 4.942/2020, que determinou restrições em sete regionais do estado por 14 dias. O próprio decreto sugeria a possibilidade de prorrogação, mas o governador decidiu por não prolongar as restrições no estado.