Em diversos países do mundo, a obesidade está sendo considerada um problema de saúde pública. No Brasil a situação não é diferente. Segundo o médico endocrinologista e chefe desse setor no Hospital de Clínicas de Curitiba, Henrique Suplicy, o problema atinge entre 15% e 20% da população adulta.

Na tentativa de minimizar o problema, o Ministério da Saúde lança hoje – em conjunto com a Associação Brasileira de Estudo da Obesidade e sociedades Brasileira de Endocrinologia e de Pediatria – o projeto Escola Saudável.

Em parceria com as secretarias da Saúde e Educação, a idéia é trabalhar junto às escolas públicas para que elas substituam os salgadinhos e refrigerantes oferecidos na merenda escolar por sucos de frutas e sanduíches naturais. “Após o lançamento do programa, faremos um mutirão nas escolas para orientar pais e professores sobre o assunto”, conta a coordenadora da área técnica de nutrição da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, Mônica Kastrup. “No Rio de Janeiro e em Santa Catarina, uma alimentação sadia nas escolas já é lei. Queremos que o mesmo ocorra no Paraná”.